Share
Save

Avanços recentes nas pesquisas e conceito de prebiótico


Definição de Prebióticos exige atualização com novos avanços científicos

ILSI Brasil preparou um documento com contribuições técnico-científicas e propostas que ajudam na melhor definição dos compostos

Prebióticos e seus benefícios para a saúde humana são foco de estudos de cientistas em todo o mundo, por ser um campo que necessita maiores investigações. A Força-Tarefa Alimentos Funcionais do International Life Sciences Institute (ILSI) Brasil elaborou um documento com contribuições técnico-científicas sobre o tema, intitulado “Avanços Recentes nas Pesquisas e Conceito de Prebiótico”. O documento tem como relator o Professor João Paulo Fabi, Farmacêutico-bioquímico, Doutor em Ciências dos Alimentos e membro do Comitê Consultor Científico (C3) e do Conselho Científico e de Administração (CCA) do ILSI Brasil. A coordenação do documento e da Força-Tarefa responsável é do Professor Emérito da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo, Franco Maria Lajolo, Chair Acadêmico do ILSI Brasil.

A definição de prebióticos ainda é algo discutido por diversas autoridades no assunto, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e associações da indústria de alimentos. São substâncias utilizadas seletivamente pelos microrganismos do hospedeiro de forma a trazer benefícios à saúde.

Diante das discussões sobre o assunto, o documento do ILSI Brasil tem como um de seus objetivos contribuir, também, para uma definição unificada de Prebióticos, levando em consideração a atualização dos avanços científicos e tecnológicos. “Como exemplo, podemos citar as plataformas de sequenciamento maciço de DNA. Sendo assim, é imprescindível que a comunidade acadêmica direcione os outros seguimentos da sociedade acerca da melhor definição de prebióticos, embasando-se em estudos científicos concretos e que se utilizaram de coortes 7 pré-definidas dos animais em estudo e os resultados conclusivos de melhora na saúde deles. Dessa maneira, essa nova definição poderá nortear as agências reguladoras nacionais e, eventualmente, os setores da sociedade que se desejam beneficiar pela produção e venda dos prebióticos”, comenta o relator, levando em consideração todos os setores que poderiam se beneficiar de uma definição atualizada, incluindo o público consumidor, com informações mais assertivas sobre os alimentos.

O documento traz, ainda, uma proposta para identificar as principais características dos prebióticos, que inclui o local de ação definido pela microbiota (intestino, vagina, pele, boca); um estudo específico em cada hospedeiro (um prebiótico para humanos pode não ser benéfico para bovinos por exemplo, e vice-versa); estudos de resposta fisiológica no hospedeiro para verificação dos benefícios; a relação direta dessa modulação com os efeitos benéficos ao hospedeiro; entre outros.

O material completo é uma contribuição científica do ILSI Brasil, que tem objetivo de promover conhecimento científico gratuito para benefício de saúde humana e do meio ambiente. Por isso, ele está disponível para consulta em download. Para conferir na íntegra, clique aqui.