Share
Save

Webinar: Alimentos Fermentados

Sessão Virtual, Brasil
31/03/2021
10:00 – 12:00
GoToWebinar

Alimentos Fermentados podem trazer benefícios à saúde

Com benefícios a saúde, estes alimentos são resultado de um processo bioquímico comprovadamente seguro, estudado por autoridades em todo o mundo

O International Life Sciences Institute (ILSI) Brasil realizou, em março de 2021, webinar sobre “Alimentos Fermentados”, para trazer à tona uma discussão acerca do consenso publicado em janeiro deste ano pela International Scientific Association for Probiotics and Prebiotics (ISAPP). O evento foi uma realização da Força-Tarefa Alimentos Funcionais, coordenada pelo Professor Emérito da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (FCF-USP), Franco Maria Lajolo; e teve, ainda, a mediação da Nutricionista, Doutora em Saúde Pública e Cientista em Nutrição na International Flavors & Fragrances, Bárbara Peters.

O consenso publicado teve como objetivo contrapor as inconsistências relacionadas ao uso do termo “fermentado” e definiu este tipo de alimento como “produzido por meio do crescimento microbiano desejado e conversões enzimáticas de componentes alimentares”.
O documento discorre, também, sobre o conhecimento atual em torno de segurança, riscos e benefícios para a saúde, incluindo uma avaliação dos atributos nutricionais e uma justificativa mecanicista de como os alimentos fermentados podem melhorar a saúde gastrointestinal e geral.

O primeiro painel, ministrado pela Dra. Adriane de Moraes, Nutricionista, Especialista em Alimentos e Nutrição e Professora Doutora da Faculdade de Ciências Aplicadas da Unicamp, abordou “histórico, conceitos e consensos”. Durante sua palestra, a Dra. lembrou que há relatos do uso de microrganismos para obtenção de produtos com características desejadas desde o ano 7.000 a.C., como na produção de vinhos e pães, por exemplo. Com o avanço da tecnologia, novas metodologias para executar o processo foram surgindo. “Do ponto de vista bioquímico, fermentações são reações químicas produzidas nos substratos orgânicos mediante a atividade de microrganismo ou de suas enzimas”, comentou. Ela ressaltou, ainda, que os produtos de fermentação podem ser aliados na saúde metabólica, gerando benefícios à saúde humana.

A Dra. Cristina Bogsan, Farmacêutica-Bioquímica, com especialidade em Ciências, Docente na Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP e Professora visitante em Harvard Medical School no Institute of RNA Medicine, foi a segunda palestrante do evento e focou sua abordagem na composição, segurança e evidências para a saúde de bebidas fermentadas.

Um dos pontos abordados pela Dra. Cristina em sua palestra foi a essencialidade dos ensaios clínicos que comprovem os efeitos em saúde propostos para os alimentos e bebidas fermentadas. Estes ensaios, hoje, analisam benefícios como a redução de fatores de adiposidade, benefícios na luta contra doenças cardiovasculares, interferência na microbiota e modulação do sistema imune.

Ela destaca um dos benefícios estudados para estes alimentos: a estabilidade da glicemia em pacientes com diabetes mellitus tipo 2.  “Muitas pessoas confundem esta estabilidade com algum tipo de tratamento. Estes alimentos apenas fazem com que a glicemia seja estável, ainda que alta, evitando picos. Não é um tratamento para a doença”, explica.